INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL | INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL | INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL | INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL | INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL | INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE SAÚDE MULTIPERFIL |
BLOG NEW

WHAT'S NEW IN MEDICALPRO

Tardes do chá com… Dr. Ferraz Garcia

A Biblioteca do Centro de Formação de Saúde Multiperfil no decurso do seu plano de actividades para o ano de 2019, na vertente “cultura e educação”, organizou dia 14/08/2019 mais uma «Tardes do chá com…», onde convidamos uma pessoa para uma conversa informal sobre o seu percurso profissional ou para falar sobre um tema de interesse para os profissionais da área da saúde, sendo servido um chá.

Desta vez o nosso convidado foi o Dr. Ferraz Garcia, Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, trabalhou no Hospital Militar como instrumentista durante 9 anos, é Supervisor de doentes críticos no Hospital Pediátrico David Bernardino, Membro do Conselho da Comissão de Controlo de Infecção deste hospital e Director adjunto no Centro Neurocirúrgico de tratamento da hidrocefalia. O tema que veio partilhar connosco foi a sua experiência como voluntário na Missão Angolana de Ajuda Humanitária a Moçambique, em Sofala, uma das províncias mais afectada pelo Ciclone IDAI.

O Dr. Ferraz Garcia falou de forma emocionante e emocionada da sua experiência desde a forma como aceitou a proposta de ser voluntário até às pequenas grandes melhorias que conseguiu implementar.

Conta que à chegada ao local de catástrofe o cenário era efectivamente devastador, como o próprio descreveu do “dilúvio como se ouve na passagem bíblica”. Explicou que houve necessidade de se organizarem e integrarem equipas de outros países e que, por sua opção, acabou por ficar no hospital da Beira, no bloco operatório. E foi aqui que identificou inúmeras dificuldades e necessidades, bem como a possibilidade de implementar melhorias nos cuidados prestados, nomeadamente, no processo de esterilização, que conseguiu através de formação aos profissionais no local.

O convidado salientou a importância que a sua formação teve e como foi promotora do seu desempenho nesta missão, pois ter conhecimento fundamentado deu-lhe a confiança que precisava para actuar. As comparações entre Angola e Moçambique foram surgindo de forma quase inacta, referindo que os problemas em Africa parecem, muitas vezes, ser comuns e que é urgente que haja organização dos profissionais para situações deste género, ao mesmo tempo que devem ser potenciadas formações actualizadas que os tornem mais competentes. A plateia ficou motivada para participar em acções comunitárias, como voluntários, mas também em investir e aproveitar a formação que têm ao dispor para obterem mais competência, concretamente na área de actuação em situações de catástrofe.

O discurso do convidado, a sua simplicidade, humildade e competência deixam o CFS com um enorme orgulho e com a motivação de continuar a incutir qualidade no ensino.

cfsmultiperfil

Author

view all posts

Deixe uma resposta